sexta-feira, 13 de julho de 2012

Cerridwen - A Deusa da Sabedoria

(link)

Essa postagem vai em homenagem a minha querida Cerridwëen, Deusa celta da sabedoria, mãe de Cernunnos e também, futuramente, mãe divina de Taliesin, Baulemar Merlini, o Merlin da Bretanha (mais conhecido como Merlin).

Essa é uma Deusa Tríplice, mas comumente associada ao aspecto ancião, à Lua Minguante. Essa Deusa é uma encantadora e incrível amiga, sempre presente nas horas que mais precisamos, sempre pronta a ouvir, aconselhar, ensinar e confortar.

Faço a seguir uma mixagem de dois textos (de duas fontes) a respeito dessa Deusa, mas adianto que ela aparece em dois momentos da mitologia: um primeiro vivendo entre os homens e mãe de Cernunnos. Muito tempo depois, ela ressurge como mãe de Taliesin. Mostrando duas mitologias encorporadas e assim os textos abaixo, principalmente polarizados na segunda passagem da Deusa, vão fazer um resumo e mescla dessas duas mitologias a respeito de Cerridwëen.



Uma deusa tríplice – a donzela, a mãe e a mulher idosa, cujo animal totêmico é uma grande porca branca.
Deusa do panteão galês, sendo chamada de Grande Mãe e a Senhora. Deusa da natureza. Tem forte ligação com a Lua, a inspiração, a poesia, a profecia, a mudança de forma e a vida e a morte.
Cerridwen era esposa do gigante Tegid com quem teve dois filhos, uma linda donzela, Creirwy e outro era um rapaz feio, Avagdu. Como queria que o rapaz feio tivesse algo de seu, ela fez para ele uma porção mágica. Demorou um ano, e um dia para terminar de fazer a poção, que se destinava a torná-lo inspirado e brilhante. Ela ordenou que Gwion, seu assistente, tomasse conta da poção e o advertiu para não bebê-la. Acidentalmente, algumas gotas da poção espirraram na mão de Gwion, e ele levou a mão à boca. Instantaneamente, ele sabia tudo, até mesmo que Cerridwen tentaria mata-lo. Ele fugiu e ela foi atrás dele. Depois de muitas mudanças de forma, Gwion foi engolido por Cerridwen, que deu à luz nove meses depois.
Cerridwen é ainda a deusa da morte, da fertilidade, da regeneração, da inspiração, da magia, da astrologia, das ervas, da poesia, dos encantamentos e do conhecimento.


Para os galeses, Cerridwen é uma Deusa Tríplice (donzela, mãe e mulher idosa), cujo animal totêmico é uma grande porca branca. Ela é a mãe que conserva todos os poderes da sabedoria e do conhecimento. É ao mesmo tempo Deusa parteira e dos mortos, pois o mesmo poder que leva as almas para a morte, traz a vida. De seu ventre parte toda a vida e a vida provém da morte. Do interior de seu caldeirão emanam porções, com as quais Cerridwen comanda a sincronicidade de todo o Universo e intervém nos assuntos humanos para auxiliar seus adoradores.
Seu aspecto caracterizado em corpo de uma velha, representa o conhecimento de todos os mistérios que só a idade e a experiência podem proporcionar. Ela é a Deusa que devemos reverenciar nos momentos de dificuldades e anulação de qualquer tipo de malefício. Ela é a Deusa do caos e da paz, da harmonia e da desarmonia.
Deusa da lua, dos grãos, da natureza. A porca branca comedora de cadáveres representando a Lua. Associa-se a morte, a fertilidade, a inspiração, a astrologia, as ervas, os encantamentos, o conhecimento...
Conta-se que Cerridwen, com a bebida de seu caldeirão transformava um homem comum em um rei. Sua história vem do País de Gales medieval e se encontra escrita em "The Mabinogi (1977) de Patrick K. Ford. Cerridwen, viveu à margem de Llyn (lago), casada com Tegid Foel,com quem teve dois filhos. Um era belo, mas o outro muito feio, chamado de "Morfran" (grande corvo). Pensou então que o único remédio contra esta adversidade, seria torná-lo sábio. Para tanto, ela juntou ervas e fez para ele uma poção mágica. Demorou um ano e um dia para terminar a tal poção. Gwyon Bach, seu assistente estava encarregado de vigiar o fogo e a poção, mas foi advertido para não bebê-la. Entretanto, quando três gotas a poção saltaram do caldeirão, Gwyon empurra o filho de Cerridwen e as bebe. Instantaneamente, ele possuía a sabedoria do mundo, sabia até mesmo que Cerridwen tinha a intenção de matá-lo. Ele fugiu e ela foi atrás dele, no que se chamou de "Caçada Mágica".
Gwyon transformou-se em uma lebre e Cerridwen em um cão, transformou-se então em um salmão e ela em uma lontra. Por último transforma-se em um grão de trigo, mas a Deusa em corpo de uma galinha o come. Nove meses mais tarde Cerridwen deu à luz em Taliesin, o maior dos Trovadores Celtas. Depois de tê-lo em seu seio, não conseguiu mais matá-lo. Ela então o coloca dentro de um saco de pele e introduzindo-o dentro de uma pequena barca, que fica a deriva sobre as ondas.
Elphin, filho de um rico proprietário de terras, salvou o bebê e lhe deu o nome de Taliesin (semblante radiante). A criança reteve todo o conhecimento e sabedoria adquiridos pela poção e tornou-se um importante e talentoso Bardo.

[Texto mixado dos sites: Olhos de Bastet & Encanto da Bruxa]

Nenhum comentário:

Postar um comentário