segunda-feira, 18 de junho de 2012

Ritual Pagão abre oficialmente atividades da Cúpula dos Povos na Rio+20

Essa postagem não é de minha autoria, já deixando claro. É uma notícia totalmente retirada do site da UWB (União Wicca do Brasil) que eu gostaria de compartilhar com todos e divulgar, já que considero isso um ganho para nossa luta pelo reconhecimento do Paganismo no Brasil além de uma prova de que nós, (neo)pagãos, nos fazemos presentes, atuantes e destemidos; mostrando também irmandade e igualdade com outros movimentos religiosos, em nosso desejo de celebrarmos nossa liberdade de escolha, respeitando as demais.

Assim, com esse recorte, eu também gostaria de parabenizar ao Presidente da UWB, Sacerdote Og Sperle, pelo brilhante trabalho e honra a todos nós (e a muitos outros) prestado.

Se for de sua escolha, pode acompanhar essa reportagem diretamente no site da UWB.

Ávillys d'Avalon, Mundi Tempus.

----&----
Nesta sexta-feira (15/06), no Aterro do Flamengo, Rio de Janeiro, ocorreu a abertura oficial do complexo de tendas chamado “Religiões por Direitos”. Este espaço faz parte do território da Cúpula dos Povos na Rio+20.
Como abertura do evento, estava previsto um culto interreligioso com a participação de três religiões, e a Wicca era uma delas, sendo que, ao chegar a hora da abertura, apenas o sacerdote Og Sperle, presidente da União Wicca do Brasil estava presente no local, ficando com a responsabilidade de realizar o ritual de abertura dos diálogos interreligiosos na Rio+20.
Para os presentes no local, houve um certo espanto ao saberem que teriam um bruxo a realizar o “culto” de abertura do evento, sendo que, mais intrigados ficaram quando o sacerdote Og Sperle começou a litania, visto que a mesma teve o enfoque wiccano, com a abertura do círculo e dos quadrantes “portais”.
No mais, o rito seguiu por uma linha pagã, e não propriamente wiccana, isso ficou bem evidente quando o sacerdote cantou a música “Irmãos da Lua” de Renato Teixeira, momento que emocionou os presentes.

Outro momento marcante foi quando o sacerdote Og Sperle convidou duas lideranças religiosas que estavam presentes no público para subirem ao palco, o representante da igreja Anglicana, Rev. Daniel Rangel e a Sra. Édna dos Santos, do Kardecismo, que juntos finalizaram cantando uma música de Milton Nascimento e Chico Buarque chamada “Cio da Terra”.
O espaço "Religiões por Direitos" tem por finalidade garantir a visibilidade e participação de organismos, expressões e grupos religiosos na Cúpula dos Povos na Rio+20.
Como pano de fundo comum, lideranças convidadas, das diversas expressões religiosas do país, estarão do dia dos dias 15 ao 22 de junho, se esforçando para promover os Direitos Humanos (direitos civis, políticos, econômicos, sociais, culturais e ambientais). Essa presença interreligiosa tem por objetivo, a construção de uma agenda de eventos que estarão acontecendo durante a Cúpula dos Povos em torno dos seguintes temas principais:
a) Soberania alimentar
b) Mudanças climáticas
c) Juventude e justiça ambiental
d) Novos paradigmas e desenvolvimento sustentável
e) Povos tradicionais de terreiros
f) Paz, conflitos religiosos e bens comuns

[Texto escrito pelo Departamento de Comunicação da UWB]

Nenhum comentário:

Postar um comentário